Gerente de Políticas e Proteção às Mulheres da Seciju, Flávia Laís Martins, conversou com as moradoras do distrito e de comunidades quilombolas. - Foto: Seciju/Governo do Tocantins

A violação dos direitos das mulheres causa impacto direto no desenvolvimento social da comunidade em que vivem e a falta e dificuldade de acesso à informação pode influenciar na forma como reagem às diversas formas de violência. Objetivando orientar e repassar conhecimentos sobre a Lei Maria da Penha às mulheres, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) levou uma série de ações e serviços com a Unidade Móvel no distrito de Campo Alegre em Paranã.

Coordenada pela Gerência de Políticas e Proteção às Mulheres da Seciju, em parceria com a Prefeitura de Paranã, Centro de Referência de Atendimento às Mulheres (CRAM) de Arraias e Defensoria Pública (DPE-TO), a ação promoveu palestras com temáticas sobre a violência contra a mulher, orientações jurídicas, atualização da caderneta de vacinação, testagem para a identificação de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), além de atendimento psicossocial para mulheres que vivem no interior do município.

Equipe do Centro de Referência da Mulher de Arraias realizou palestra sobre o ciclo da violência. – Seciju/Governo do Tocantins

A gerente de Políticas e Proteção às Mulheres da Seciju, Flávia Laís Martins, afirma que a Unidade Móvel é uma ferramenta de auxílio para propagar informação quanto à política de enfrentamento à violência contra a mulher. “É muito importante trabalhar com as mulheres que estão mais distantes, onde a orientação quase não chega para que as mesmas identifiquem o que é a violência e saibam como sair desse ciclo”, disse a gerente.

Para a secretária da Assistência Social do município de Paranã, Suréia Araújo da Silva, poder atender o povoado de Campo Alegre, que fica a 74 quilômetros do Município e abriga várias comunidades quilombolas, é de extrema importância. “Temos visto todos os dias casos de violência contra mulher, então quanto mais informação pudermos trazer para as mulheres desta comunidade, mais consciência elas terão para denunciar os casos que possam vir acontecer. Fico muito feliz em poder contar com essas parcerias para realização deste trabalho, ” afirmou.

Unidades Móveis

As Unidades Móveis são disponibilizadas pela Diretoria de Direitos Humanos da Seciju e levam atendimentos individuais com defensoras públicas, advogadas, exames rápidos, assistentes sociais e psicólogas, rodas de conversas, orientação sobre os direitos das mulheres e oficinas de inclusão produtiva para mulheres em situação de violência.

Deixe uma resposta