No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado nesta quarta-feira, 1º de dezembro, representantes de várias entidades, órgãos públicos, organizações da sociedade civil e da igreja se reuniram no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/TO), em Palmas, para  reforçar a necessidade de conscientização sobre as formas de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. A mobilização foi uma iniciativa da Casa A+, Secretaria Municipal da Saúde (Semus), por meio do Núcleo de Assistência Henfil de Palmas, e da UNAids Brasil em parceria com outras várias instituições que defendem a luta.

Laços vermelhos, símbolo da campanha, foram distribuídos aos presentes, que também puderam apreciar as peças em artesanais produzidas pelo coletivo de mulheres que forma o Grupo Feira das Manas, logo na entrada do auditório.

Em sua fala durante a abertura do evento, a coordenadora do Henfil de Palmas, Ginã de Souza, informou que o número de novos casos de infecção por HIV na Capital aumentou bastante. Segundo dados do Henfil, de janeiro a outubro deste ano, 53 novos casos foram registrados, sendo que a maioria dos diagnósticos confirmados foi em jovens. “Não podemos baixar a guarda, pois o número de novos casos por ano continua aumentando. Os registros indicam que a infecção por HIV ainda representa um sério problema de saúde pública. As pessoas precisam estar informadas e buscar os serviços de saúde para evitar o avanço da doença”, alertou a coordenadora.

O representante do Coletivo Somos, Dilson Júnior, reforçou a importância de enfrentar as desigualdades, o estigma e a discriminação para garantir os direitos individuais da pessoa infectada pela doença.

O bispo da Diocese Anglicana de Brasília, Maurício de Andrade, falou da sua preocupação com o número de novas infecções por HIV. “Precisamos fazer com que as informações cheguem para todas as pessoas, só assim vamos conseguir reduzir os casos e as desigualdades que contribuem para o surgimento de mais notificações. Precisamos colocar as pessoas no centro, priorizando os direitos humanos, o respeito e a dignidade”, ressaltou o religioso.

Palestra

O médico da rede de saúde pública e especialista em Infectologia, Alexandre Janotti, e a enfermeira Gisele Araújo do Núcleo Henfil abordaram durante a palestra o tema ‘Prevenção Combinada’, falando sobre os serviços de prevenção, teste, tratamento e cuidados de saúde para pacientes com HIV. O médico acredita que uma das estratégias para reduzir o número de infectados é colocar as pessoas no centro das atenções, eliminando barreiras sociais que dificultam o acesso aos serviços de saúde. “Vamos fazer o que estamos propondo aqui hoje, capacitando pessoas, fortalecendo vínculos e buscando formas para que as pessoas mais afetadas pelas desigualdades consigam se mobilizar para prevenir a Aids e outras infecções”, frisou o especialista.

Deixe uma resposta