Na tarde da última quarta-feira, dia 22, a Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 71ª Delegacia de Porto Nacional, deu cumprimento a dois mandados de prisão em desfavor de um homem, de 25 anos, que é investigado por praticar roubos à mão armada, nos últimos meses contra estabelecimentos comerciais e também trabalhadores autônomos naquela cidade.

Coordenada pelo delegado-chefe da 71ª DP, Wagner Rayelly Pereira Siqueira, a ação foi realizada depois que o homem foi identificado pela Polícia Civil como sendo o autor de dois roubos à mão armada cometidos contra motoristas de aplicativo, nos dias 16 e 18 de junho deste ano, em Porto.

Nas ocasiões, o indivíduo fingiu ser um passageiro comum, mas depois que entrou nos veículos, rendeu os motoristas, com o uso de uma pistola e os obrigou a entregar o dinheiro que tinham em mãos, bom como fazerem transferências bancárias para as contas informadas pelo autor. Em seguida, o autor trancou os motoristas nos porta-malas dos automóveis, foi para regiões mais afastadas do centro da cidade, libertou as vítimas, mas fugiu com os veículos, que foram localizados, posteriormente.

Segundo o delegado, as investigações iniciaram logo que as duas vítimas foram até a Central de Atendimento da PC e registraram os fatos. Em seguida, após diligências, os policiais civis da 71ª DP identificaram o suspeito e a autoridade policial representou pelos mandados judiciais, os quais foram deferidos e cumpridos nesta quinta-feira.

Ainda de acordo com o delegado, o homem já havia sido preso pela Polícia Militar, no dia 22 de junho, por cometer um crime semelhante aos dos dois dos dias 18 e 18 de junho. Assim, os mandados foram cumpridos na Unidade Penal de Porto, onde o homem está recolhido. O mesmo indivíduo já havia sido apontado pela Polícia Civil como sendo o autor de um roubo à mão armada em um escritório de contabilidade no centro de Porto, no mês de abril, crime pelo qual também responderá.

Desse modo, o homem agora irá responder a mais dois crimes contra o patrimônio, permanecendo preso na Unidade Penal de Porto Nacional.

Deixe uma resposta