Foto: Divulgação

Novidade para aqueles que estavam ansiosos para saber os locais de realização das provas do Exame Nacional Para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, o Encceja! O  INEP já disponibilizou o cartão de inscrição com os locais de provas do Encceja. Clique aqui para acessar.

Conforme havíamos divulgado, a realização das provas já teve uma data definida: será no dia 29 de agosto. Ainda dá tempo para se preparar e estudar muito até realizar a avaliação. Nesse ano, foram inscritos cerca de 1.799.385 candidatos que buscam a certificação de nível fundamental e/ou médio.

O programa atende a jovens e adultos que não conseguiram concluir os cursos básicos em idade normal. Dessa forma, buscam uma oportunidade inclusiva para conclusão e certificação. As provas fazem um conjunto de questões sobre conhecimentos básicos, aplicados conforme a certificação desejada, fundamental ou médio.

É importante destacarmos que uma das principais avaliações para contagem de pontos está relacionada à redação. Observar as dicas de redação e de uma boa gramática serão determinantes para a aprovação do candidato. Após realização das provas e a respectiva aprovação, o candidato poderá solicitar sua certificação na Secretaria de Educação do estado.

Como se preparar para a prova do Encceja?

Desde que foi criado em 2002, o programa já atendeu milhares de brasileiros que conseguiram concluir todas as etapas de certificação (fundamental e médio) e, consequentemente, já obtiveram a oportunidade de alcançar nível superior.

Uma dica fundamental é consultar no site as dicas de matérias de estudo disponíveis, provas e gabaritos anteriores e as orientações. É sempre fundamental manter-se focado nos estudos baseado nas indicações do INEP.

Como fazer uma boa redação?

Vamos observar algumas dicas importantes para você conseguir realizar uma boa redação? Espero que essas dicas que preparamos de forma resumida, mas bastante didática, possam te ajudar a fazer uma redação objetiva e, ao mesmo tempo, eficaz para um bom resultado.

Inicialmente, deve-se entender que a redação precisa ser dissertativa-argumentativa, ou seja, você expõe o assunto, escreve sistematicamente sobre ele e, expõe o seu ponto de vista, argumenta. O limite máximo do texto são 30 linhas, mas a partir de 20 linhas já é considerado um texto gratificante aos avaliadores.

A redação é dividida em “Introdução”, “Desenvolvimento” e “Conclusão”. Cada parte tem um sentido específico para a qualidade de sua redação.

  • Introdução: você precisa especificar de forma resumida sobre o que se trata seu texto dissertativo-argumentativo. Um parágrafo com duas ou três palavras é o suficiente para você criar o “alicerce” de seu texto;
  • Desenvolvimento: aqui, você vai desenvolver toda sua argumentação, podendo ser entre dois e quatro parágrafos, no máximo. Você desenvolve sobre o assunto que é proposto e, faz-se necessário, demonstrar o máximo possível de conhecimento sobre o que se escreve;
  • Conclusão: na conclusão, já temos no próprio nome a que se define essa última parte. Você irá concluir sobre o assunto. Talvez, fique mais fácil de entender se você conseguir responder a seguinte pergunta: qual a moral da história? O que entendo com isso que escrevi?

A observância das normas da língua portuguesa e regras gramaticais fará toda diferença. Lembre-se que nem sempre as palavras que utilizamos no dia a dia são aceitas numa redação, pois existe a norma culta da nossa língua. Evite usar termos como “pra”, “ok”, “né”. Isso chamamos costumeiramente de marcas da oralidade.

Outros fatores primordiais ligados à gramática é o uso correto de expressões e suas escritas, tais como: “mais: quantidade”, “mas” – conjunção (porém), “Concerto” – musical”, ”Conserto” – reparação, correção.

Muitas dessas dicas podem ser encontradas através do material disponível para estudos no site do programa Encceja. Uma boa nota em sua redação pode ser fundamental e determinante para a nota necessária em sua certificação.

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta