Governador do Tocantins, Mauro Carlesse está afastado do cargo — Foto: Esequias Araújo/Governo do Tocantins

O Ministério Público Federal acusou o governador do Tocantins de encomendar ao menos um flagrante falso de tráfico de drogas, entre outros crimes. A informação consta em um trecho da denúncia que foi lida pelo ministro Mauro Campbell durante a sessão que confirmou o afastamento de Mauro Carlesse (PSL) do cargo por 180 dias.

 

“Elementos probatórios e indiciários robustos dando conta da existência igualmente de uma organização criminosa, enraizada no centro do Governo do Estado do Tocantins, liderada em tese pelo governador do estado, que aparelhou todo o sistema de segurança pública do Estado do Tocantins. Intervenções políticas que também permitiram o direcionamento de investigações em face de adversários políticos do grupo, conforme relatado pelo Ministério Público Federal”, disse o ministro ao ler o próprio voto pelo afastamento do governador.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em seguida, Mauro Campbell lembrou mudanças feitas pelo governo no Manual de Procedimentos da Polícia Civil, num episódio que ficou conhecido como ‘Decreto da Mordaça’. A denúncia afirma, segundo o ministro, que isso levou a um “suposto flagrante forjado por tráfico de drogas realizado pela organização criminosa”.

Deixe uma resposta