Suplementação Alimentar de Bovinos no Período da Seca - Agricultura/Governo do Tocantins
Neste período de seca, comum durante estação do inverno, a pastagem fica debilitada e, consequentemente a alimentação do rebanho fica deficiente. Para buscar alternativa, o governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV),  de Minas Gerais, realizam nesta quinta-feira, 02, às 15 horas, a live “Suplementação Alimentar de Bovinos no Período da Seca – Cerrado”. A live direcionada aos produtores ocorre na plataforma do Youbube no canal da Secretaria: youtube.com/seagrotocantins.
A live será ministrada pelo professor zootecnista da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Rógério de Paula Lana. Segundo ele, nesta época é indispensável o fornecimento de suplementação estratégica para os animais. “Os suplementos minerais são alimentos que suprem a deficiência de um ou vários minerais na dieta do bovino. São produtos como sal comum, fosfato bicálcio, a farinha de ossos, os carbonatos, os calcários, entre outros. São produtos que fornecem quantidades exatas de vitaminas na dieta do bovino”, detalhou.
Suplementação Alimentar de Bovinos no Período da Seca – Agricultura/Governo do Tocantins
O zootecnista destaca ainda que é importante realizar a suplementação mineral para combater as doenças causadas pela carência de minerais como “raquitismo, anemia, osteomalácia, infertilidade, abortos, nascimentos de fetos fracos ou mortos, baixa taxa de concepção e produção de leite, ou seja, tudo isso poder ser evitado e reposto no organismo do animal através da suplementação”.
Para a gerente de pecuária da Seagro, Mara Luce Borges Leal, a escassez das chuvas diminui a quantidade e qualidade da pastagem disponível. Interfere na dieta dos animais, reduz o desempenho produtivo do rebanho, tanto no de corte como no de leite. “Existem vários tipos de suplemento animal que pode ser escolhida. A formulação específica dos minerais influencia diretamente na absorção adequada e no consumo equilibrado”, disse.

A live é uma parceria entre e a Seagro e Universidade Federal de Viçosa (UFV), Minas Gerais.

Neste período de seca, comum durante estação do inverno, a pastagem fica debilitada e, consequentemente a alimentação do rebanho fica deficiente. Para buscar alternativa, o governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV),  de Minas Gerais, realizam nesta quinta-feira, 02, às 15 horas, a live “Suplementação Alimentar de Bovinos no Período da Seca – Cerrado”. A live direcionada aos produtores ocorre na plataforma do Youbube no canal da Secretaria: youtube.com/seagrotocantins.
A live será ministrada pelo professor zootecnista da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Rógério de Paula Lana. Segundo ele, nesta época é indispensável o fornecimento de suplementação estratégica para os animais. “Os suplementos minerais são alimentos que suprem a deficiência de um ou vários minerais na dieta do bovino. São produtos como sal comum, fosfato bicálcio, a farinha de ossos, os carbonatos, os calcários, entre outros. São produtos que fornecem quantidades exatas de vitaminas na dieta do bovino”, detalhou.
O zootecnista destaca ainda que é importante realizar a suplementação mineral para combater as doenças causadas pela carência de minerais como “raquitismo, anemia, osteomalácia, infertilidade, abortos, nascimentos de fetos fracos ou mortos, baixa taxa de concepção e produção de leite, ou seja, tudo isso poder ser evitado e reposto no organismo do animal através da suplementação”.
Para a gerente de pecuária da Seagro, Mara Luce Borges Leal, a escassez das chuvas diminui a quantidade e qualidade da pastagem disponível. Interfere na dieta dos animais, reduz o desempenho produtivo do rebanho, tanto no de corte como no de leite. “Existem vários tipos de suplemento animal que pode ser escolhida. A formulação específica dos minerais influencia diretamente na absorção adequada e no consumo equilibrado”, disse.
A live é uma parceria entre e a Seagro e Universidade Federal de Viçosa (UFV), Minas Gerais.
PUBLICIDADE

Deixe uma resposta