Adriana Silva Sales de Souza tinha 20 anos quando foi assassinada — Foto: Arquivo pessoal/Facebook

Mário Breno Rodrigues Lopes foi condenado nesta quarta-feira (9) a uma pena total de 14 anos de prisão pelo assassinato da namorada, Adriana Silva Sales de Souza, de 20 anos. Ele foi considerado culpado por feminicídio, ocultação de cadáver e corrupção de menores, mas teve a pena reduzida por ter menos de 21 anos na época do crime e ter confessado. O crime aconteceu em fevereiro de 2020 e o corpo da vítima foi encontrado debaixo de uma ponte após ela fica dias desaparecida.

O julgamento foi realizado durante todo o dia no Fórum de Gurupi, na região sul do estado. A sustentação foi feita pelo promotor de Justiça Rafael Pinto Alamy e todas as teses do Ministério Público foram acolhidas pelo júri popular.

O réu foi condenado a 12 anos pelo feminícidio, um ano pela ocultação de cadáver e mais um ano por corrupção de menor, pois contou com a ajuda do próprio irmão adolescente no assassinato.

 

As investigações sobre o caso apontaram que Adriana Silva foi esfaqueada e morta por asfixia na cabine de um caminhão, após receber uma mensagem do suspeito dizendo que queria conversar.

A jovem tinha uma filha de dois anos e a família dela ficou destruída. Durante todo o dia os parentes da jovem acompanharam o julgamento e protestaram. “Ela era a minha caçula. A minha netinha pergunta: ‘vovô, a mamãe já chegou? Liga para ela vovô’. É uma dor inexplicável. Eu não tenho felicidade”, lamentou o pai da jovem.

O crime

 

Corpo foi encontrado debaixo de ponte em Gurupi — Foto: Débora Ciany/TV Anhanguera
Corpo foi encontrado debaixo de ponte em Gurupi — Foto: Débora Ciany/TV Anhanguera

O suspeito foi preso durante uma operação da Polícia Civil. Investigações apontam que Adriana foi assassinada quatro dias antes do corpo ser encontrado. De acordo com o MPTO, na noite do crime o homem foi até uma área próxima à casa de Adriana enviou mensagem de texto para a vítima falando que queria conversar.

A mulher foi chamada para um caminhão e, ao entrar, foi agarrada no pescoço por um adolescente que estava na parte traseira da cabine. Depois o namorado dela teria se juntado ao menor e amarrado os pulsos e o pescoço da vítima com uma linha de nylon.

O MPTO afirmou que o acusado esfaqueou Adriana nos braços. Como ela estava imobilizada, não conseguiu se defender. “Após os golpes, Mário Breno, com a ajuda do adolescente, passou a asfixiar a vítima utilizando-se das mãos e do cordão já enroscado no pescoço da ofendida, estrangulando-a até a morte”.

Depois do assassinato, o corpo da jovem foi enrolado em um lençol e levado dentro do caminhão até às margens do rio Gurupi, na zona rural do município.

A localização do corpo

 

Adriana Silva Sales de Souza tinha 20 anos e foi encontrada morta — Foto: Arquivo pessoal/Facebook
Adriana Silva Sales de Souza tinha 20 anos e foi encontrada morta — Foto: Arquivo pessoal/Facebook

O corpo de Adriana Silva Sales foi encontrado no dia 28 de fevereiro de 2020, após ela ficar vários dias desaparecida. O caso comoveu amigos e familiares que procuraram informações sobre o paradeiro dela nas redes sociais.

O local onde a vítima foi encontrada fica a aproximadamente oito quilômetros do centro da cidade, em uma estrada vicinal. A Polícia Militar informou que o corpo foi localizado por um trabalhador rural que roçava a pastagem da região. Ele disse que viu um cobertor branco perto de uma cerca e ao se aproximar da ponte sentiu um forte cheiro. O cobertor estava a cerca de 50 metros do cadáver.

O Corpo de Bombeiros foi chamado para fazer o resgate e remoção do corpo, que estava em estado de decomposição. A perícia foi realizada no local e o corpo precisou ser transferido para o IML de Palmas, onde passou por exames e foi identificado.

COM INFORMAÇÕES G1 TOCANTINS

Deixe uma resposta