Um dos suspeitos do crime de estupro, à direita, preso juntamente com outro homem investigado por homicídio. Crédito - Foto - DICOM SSP TO

Dois indivíduos, suspeitos de abusar sexualmente de um adolescente de 13 anos foram presos pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), durante operação realizada nesta sexta-feira, 19, em Taguatinga.

A operação policial, que resultou nas prisões de um homem de 56 e outro de 20 anos foi deflagrada por policiais civis da103ª Delegacia de Taguatinga, e contou com apoio de agentes da 14ª Central de Atendimento da PC, de Dianópolis, sob a coordenação do delegado-chefe da 103ª DP, Lucas Rodrigues.

 Segundo a autoridade policial, as prisões ocorreram após intenso trabalho investigativo, onde ficou constatado que ambos os homens teriam, de fato, abusado sexualmente de um garoto de 13 anos, no fim do último mês de julho, do corrente ano, em Taguatinga. “As investigações apontaram que, se valendo da proximidade entre a casa de um deles e a residência dos avós da vítima, os investigados atraíram o menor para a residência onde abusaram sexualmente dele”, ressaltou o delegado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Um dos suspeitos do crime de estupro, à direita, preso juntamente com outro homem investigado por homicídio.
Crédito – Foto – DICOM SSP TO

Com base nas investigações, o delegado Lucas representou, junto ao Poder Judiciário, pelas prisões dos dois indivíduos, as quais foram deferidas. De posse das ordens judiciais, os investigadores intensificaram as diligências, em Taguatinga, sendo que o homem, de 56 anos, foi preso no final da tarde da última quinta-feira, e o suspeito, de 20 anos, foi capturado, na tarde da sexta.

Por conta das prisões, a 10ª Delegacia de Polícia de Taguatinga promoveu o indiciamento dos investigados, os quais, após a realização das providências legais cabíveis, foram encaminhados ao sistema prisional, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

O delegado Lucas, frisa ainda que, se condenados pelo crime praticado, os investigados podem pegar uma pena de até 15 anos de cadeia.

Deixe uma resposta