Sede da Polícia Federal em Araguaína — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Uma nova operação contra suspeitos de fraudar o pagamento do Auxilio Emergencial no Tocantins está sendo realizada pela Polícia Federal nesta terça-feira (1°). Estão sendo cumpridos mandados de prisão, busca e apreensão, bloqueio e sequestro de bens. A ação é realizada nas cidades de Colinas e Brasilândia, na região norte do Tocantins, e foi chamada de “Reversus”.

A investigação da polícia apontou que os suspeitos cadastravam diversas contas em nome de terceiros, no aplicativo “Caixa Tem”, para recebimento do Auxílio Emergencial de forma fraudulenta. Assim que disponibilizados, os valores eram transferidos por meio de depósitos e boletos bancários para contas vinculadas aos criminosos.

De acordo com a Polícia Federal, são 14 agentes cumprindo dois mandados de prisão preventiva, três ordens de busca e apreensão, uma medida cautelar diversa da prisão, além do bloqueio de R$ 50 mil, sequestro de um carro e uma casa, totalizando R$ 400 mil.

Agentes da PF cumpriram mandado em Colinas do tocantins — Foto: PF/ Divulgação
Agentes da PF cumpriram mandado em Colinas do tocantins — Foto: PF/ Divulgação

Todos os mandados foram expedidos pela 1º Vara Federal e Criminal de Araguaína. A polícia informou que essa investigação é resultado da operação 5ª Parcela, que foi realizada em abril deste ano e identificou núcleos criminosos em Colinas do Tocantins e região.

Os suspeitos devem responder por associação criminosa, lavagem de dinheiro e furto qualificado por fraude eletrônica. As penas somadas podem ultrapassar 20 anos de reclusão e multas.

Durante o cumprimento dos mandados foram apreendidos cartões em nome de terceiros, drogas e até uma arma no quintal de uma casa. O nome dessa nova operação faz referência ao vocábulo latim que significa “voltando”, em continuidade ao combate às fraudes aos Benefícios Emergenciais.

Máquinas e cartões em nomes de terceiros foram encontrados pela PF — Foto: PF/Divulgação
Máquinas e cartões em nomes de terceiros foram encontrados pela PF — Foto: PF/Divulgação

COM INFORMAÇÕES G1 TOCANTINS

Deixe uma resposta