Nesta quarta-feira, 06, uma das empresas homologadas e contratadas realizará 16 cirurgias de catarata Foto: Edu Fortes/ Secom Palmas

Com investimento de R$ 2.903.097,34 em emendas parlamentares, a Prefeitura de Palmas retomou a segunda etapa do Projeto Cirurgias Catarata Zero. Ao todo, 2.176 procedimentos foram autorizados pela Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) e os pacientes regulados para fazerem a cirurgia já estão sendo contatados pelo setor de Regulação da Semus para fazer o agendamento. Como parte da programação de cirurgias de catarata que estão sendo programadas, o Instituto de Oftalmologia do Tocantins, uma das oito empresas que foram homologadas, realizará 16 cirurgias na manhã desta quarta-feira, 06. O procedimento será efetuado em pacientes com idades entre 60 e 80.

Com a retomada das cirurgias de catarata, o secretário municipal da Saúde, Thiago de Paulo Marconi, ressalta que Palmas deverá atender a demanda reprimida que existia e irá zerar, dessa forma, a fila de pacientes que aguardavam pelo procedimento. A diretora da Média e Alta Complexidade da Semus, Ludmila Nunes Moreira Barbosa, informa que desde 2020, quando foi iniciado o projeto, a Semus vem reduzindo a fila pela cirurgia de catarata, tendo realizado entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021 um total de 1.810 cirurgias.

As cirurgias desta segunda etapa estão sendo realizadas por meio de emendas parlamentares destinadas à Prefeitura de Palmas pela senadora Kátia Abreu e pelos deputados federais Eli Borges e Célio Moura.

Municípios
Além de Palmas, pacientes de outros 22 municípios do Tocantins foram triados para fazerem a cirurgia de catarata. São eles: Aparecida do Rio Negro, Tabocão, Lagoa do Tocantins, Lajeado, Lizarda, Miracema do Tocantins, Miranorte, Novo Acordo, Rio dos Bois, Rio Sono, Santa Tereza do Tocantins, São Félix do Tocantins, Tocantínia, Bom Jesus do Tocantins, Centenário, Colméia, Goianorte, Guaraí, Pedro Afonso, Recursolândia, Santa Maria do Tocantins e Tupirama.

A catarata é uma doença dos olhos, que consiste na intransparência parcial ou total do cristalino. Pode ser ocasionada por diversos fatores, porém o envelhecimento é a causa mais recorrente da patologia, que é uma das principais causas de cegueira reversível no mundo. Deste modo, a resolução dos casos da doença é tipificada como uma demanda social relevante para saúde da população, por conta das mudanças que alteram a rotina diária dos cidadãos.

Acesso

Para ter acesso à cirurgia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), os pacientes são encaminhados para cirurgia de catarata após consulta com médico oftalmologista. A porta de entrada é a Atenção Básica que encaminha o paciente para especialista que faz diagnóstico e indica o procedimento. As solicitações de cirurgias são encaminhadas para a Central de Regulação Municipal e autorizada conforme protocolos de regulação.

Texto: Semus/Palmas

Deixe uma resposta