A nova prorrogação do auxílio emergencial de fato deve se tornar uma realidade, seguindo os mesmos moldes das atuais quatro parcelas redefinidas pelo governo para 2021, deve ser paga com o mesmo valor entre R$ 150 e R$ 375.

Com a divulgação de uma nova prorrogação, muitos trabalhadores estão na expectativa do governo abrir uma nova remessa de inscrições para recebimento do auxílio emergencial, entretanto, conforme apurado pelo jornal Folha de S. Paulo a inscrição de novos beneficiários não deve ser liberada.

Prorrogação do auxílio emergencial

Para ser possível liberar uma nova prorrogação do auxílio emergencial, o governo prevê a utilizar a sobra de R$ 7 bilhões dos R$ 44 bilhões liberados para a criação do auxílio emergencial em 2021, e editar uma nova Medida Provisória para liberar R$ 12 bilhões fora do teto de gastos para a extensão do programa.

A expectativa é de que a prorrogação do auxílio emergencial seja de mais duas parcelas, logo, a inscrição de novos beneficiários não se tornará possível também, pois o valor para custear a medida é justamente o que o governo gastará para pagar mais duas parcelas para os 39,2 milhões de beneficiários.

Ministro da Economia se pronuncia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, também se posicional sobre a nova prorrogação do auxílio emergencial. Apesar do debate sobre entender o programa por mais duas parcelas, para Guedes é possível que até três parcelas sejam liberadas. “O auxílio emergencial será retirado provavelmente em dois ou três meses; iremos provavelmente renovar pelos próximos dois meses”, destacou o ministro em evento do Bradesco BBI.

Além disso, segundo Guedes, os governadores informaram que até o fim de setembro toda população adulta deve estar vacinada, logo, o benefício pode ser prorrogado até setembro e caso os avanços na vacinação ocorram, o auxílio pode ganhar mais um mês de prorrogação.

COM INFORMAÇÕES SITE JORNAL REDE CONTÁBIL

Deixe uma resposta