O secretário de saúde do Tocantins, Afonso Piva de Santana, confirmou nesta quinta-feira (23) o primeiro caso de Covid-19 pela variante ômicron no Tocantins. O paciente é um homem de 29 anos que vive em Gurupi, no sul do estado. Ele está isolado e sem sintomas graves.

Segundo o secretário, a coleta e análise da amostra foram feitas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Tocantins (Lacen).

Ômicron é a variante do coronavírus que apresenta mais mutações, por isso colocou o mundo em alerta. Ela possui cerca de 50 mutações em comparação com o vírus original, das quais 26 são exclusivas, e já apareceu em cerca de 90 países.

Desde que foi detectada em 24 de novembro na África do Sul, os cientistas começaram uma corrida contra o tempo para descobrir se a ômicron (originalmente conhecida como B.1.1.529) é mais contagiosa, mais letal ou capaz de “driblar” o efeito das vacinas.

Estudos recentes sugerem que a variante ômicron é menos agressiva do que a delta. De acordo com os pesquisadores, as chances de uma pessoa infectada pela ômicron ser hospitalizada é 70% menor em comparação com a infecção por delta. Se comparada com as demais cepas, o percentual cresce para 80%.

Apesar disso, o consenso é de que ainda é cedo para tirar conclusões e a melhor forma de prevenir a variante e avançar na vacinação, concluindo o esquema vacinal com a dose de reforço.

COM INFORMAÇÕES G1 TOCANTINS

Deixe uma resposta